O Município História

Marcelândia - Mato Grosso - Brasil História

1- Localidade:

Marcelândia está localizada a aproximadamente 712 km da capital Cuiabá, pertencendo à comarca de Colíder. Está sendo criada a Comarca de Marcelândia, que deverá ser instalada em outubro/2005. A distância de Marcelândia a Sinop é de 160 km pela MT–423 (sendo 100 km aproximadamente pavimentada e 60 km de terra) ou de 200 km pela BR–163 (sendo 110 km pavimentada e 90 km de terra na MT–320)

2- Histórico:

Marcelândia teve início a partir de um projeto de colonização sob a responsabilidade da Colonizadora Maiká, propriedade do Sr. José Bianchini e leva esse nome em homenagem a seu filho Marcelo.

Vieram muitos colonos do sul do Brasil para cultivarem a nova terra.

Alguns dos primeiros moradores são: Rabesquini, Zaniboni, Tominaga, Adelino Alves, João Gonçalves, Biondaro, Joaquim Hilário e outros.

Em 7 de dezembro de 1980 foi oficialmente fundado o patrimônio de Marcelândia e em 10 de maio de 1982, a Lei nº. 4.461 criou o Distrito de Marcelândia, jurisdicionado ao município de Sinop.

Marcelândia tornou-se município em 13 de maio de 1986 pela Lei nº. 4992, posteriormente alterada pela Lei nº. 6692. Teve 05 gestões administrativas e atualmente tem como prefeito o sr Adalberto Navair Diamante.

Pertencem a Marcelândia as localidades: Vila Analândia a 50 km, Comunidade Santa Rita do Norte a 35 km e Comunidade Bonjaguar a 35 km da sede do município. Na comunidade Bonjaguar há uma área verde destinada a Escola Curumim, a qual pode ser aproveitada para visitas e pesquisas.Administração Atual: Adalberto Navair Diamante
Posse: 01.01.2005


Administrações Anteriores:

Paulo Eli Ribeiro Posse:01.02.1987
Geraldo Lombardi Posse:01.01.1989
João do Carmo Cerqueira Posse:01.01.1993
Geovane Marchetto Posse:01.01.1997
Geovane Marchetto Posse:01.01.2001
Adalberto Navair Diamante:01.01.2005
Adalberto Navair Diamante:01.01.2008
Arnóbio Vieira de Andrade:01.01.2013
3- Atrativos Naturais:

O Rio Manitsauá – Missu (Rio Manito) e seus afluentes (Rio Macaco, Rio Dois Irmãos, Rio dos Patos, Rio Matrinchã, Rio Pateiro, Rio Iporã, Rio Zambé) servem para pesca e passeios.

No Rio Manito utiliza-se barcos e balsa. Há algumas pequenas cachoeiras e corredeiras nos rios próximos a Serra Formosa (Pateiro, Iporã, Zambé e outros) e próximo à cidade tem o Balneário Pedreira e o Pesque Pague. Outro local muito visitado tem sido a “ilha” que é a junção dos Rios Tartaruga e Azul, formando o Manito.

Há o Festival de Pesca no mês de Outubro, no Rio Manito, onde participam vários pescadores com seus barcos.

Já se encontra em negociação com a FUNAI, o eco-turismo através do Rio Manito e a Reserva do Xingu.

4- Fauna

Os animais encontrados são: Capivara, anta, macaco, paca, onça, jaguatirica, tatu, cutia, tamanduá, lontra, quati, marreco, gavião, curió, arara vermelha, arara azul, papagaio, bico de jaca (surucucu), sucuri, jibóia, jararacuçu, jararaca, coral, falsa-coral, vários peixes como: peixe elétrico, arraia, pacu, cachara, pintado, tucunaré, matrinchã, piau, cachorra, chinelo, mandi, traíra, trairão, etc.

5- Flora:

As Madeiras comercializadas são: itaúba, amescla, cedro, peroba, shampagne, angelim, garapeira e outras.

Há ainda, o pequizeiro, jenipapo, castanheira, guariroba, ipê, tucum, jatobá, buriti, jambo, açaí, imbaúba, pacova, pupunha, guavirova, caju, ingá, maracujá do mato e outras.

Das plantas cultivadas: manga, caju, mamão, abacaxi, banana, pinha, ariticum, maracujá, limão, acerola, pitanga, etc.

6- Tipos Humanos:

Temos como tipo humano: o vaqueiro, o peão, o mateiro, o madeireiro e o indígena (Reserva do Xingu).

7- Curiosidades:

- Grande Oca indígena no centro da cidade para residência indígena.
- O sr Raimundo Barbosa possui uma história do início da colonização contada em literatura de Cordel.